Agenda
Projeto SAMBRASIL com Jorge Aragão
Horário: 19:00 | Local: Escola de Samba Aruc Endereço: Área Especial 8 – Cruzeiro Velho

A capital do país entra para o calendário das festividades em homenagem ao samba com shows gratuitos

 

Instituído em 1963 e comemorado em praça pública desde 1972, o Dia Nacional do Samba é motivo de programação especial em todo o país e, em 2009, passa a integrar o calendário de festejos do Distrito Federal. Em parceria com a Associação Recreativa Cultural Unidos do Cruzeiro – Aruc, o Instituto Zabilin de Arte e Cultura promove, dias 2, 4 e 5 de dezembro shows gratuitos para celebrar o gênero musical. Estão na programação Jorge Aragão (5/12), Bola Preta de Sobradinho e a Estação Primeira de Mangueira (2/12).

 

O Instituto Zabilin de Arte e Cultura atua no DF, entorno e em outras estados brasileiros com projetos que visam criar impacto turismo na economia regional. São exemplos dessa iniciativa bem sucedida o projeto CIRCULARTE realizado nos municípios de Cavalcante e Caldas Novas no estado de GOIÁS.

 

No DF, projetos como PRAÇA BRASIL e FÉRIAS COM ARTE, produzidos pelo instituto, também representam iniciativa de movimentação turística para a região.

 

DIA NACIONAL DO SAMBA
Você sabia que o dia 2 de dezembro é o Dia Nacional do Samba? Mas por que justo no dia 2 de dezembro? O motivo é curioso: Ary Barroso, um dos maiores compositores brasileiros de todos os tempos compôs o samba “Na Baixa do Sapateiro”, que tinha uma letra que exaltava a Bahia, sem nunca ter visitado nenhuma cidade baiana.

 

Mas a primeira vez que ele pisou em Salvador, num dia 2 de dezembro, o vereador baiano Luís Monteiro da Costa aprovou uma lei que declarava que aquele dia seria o Dia Nacional do Samba, numa forma de homenagear o compositor. A partir desse acontecimento a data tornou-se um dia para se comemorar toda a riqueza do samba, um dos principais patrimônios culturais brasileiros.

 

O samba nasceu da mistura de ritmos africanos e ganhou expressões diversas, da Bahia ao Rio de Janeiro. Todo dia é dia, mas ele ganhou um dia especial.

 

Inicialmente declarado Dia do Samba no antigo Estado da Guanabara e em Salvador (BA), a data passou a ser considerada nacional ao ganhar expressão em grandes cidades nos anos 60.

 

Atualmente somente duas cidades costumam comemorar o Dia do Samba: Salvador e Rio de Janeiro. Em Salvador sempre tem grandes shows no Pelourinho, com artistas e cantores famosos e com os sambistas locais.

 

No Rio de Janeiro a festa fica por conta do animadíssimo Pagode do Trem. No Dia do Samba o pessoal se reúne lá na Central do Brasil, lota um trem inteirinho e vai tocando e cantando até o bairro de Oswaldo Cruz, onde se formam várias rodas de Samba. Os vagões vão sempre lotados e em cada vagão vai um grupo que agita as rodas de Samba do Rio de Janeiro, incluindo grupos com sambistas famosos e locais.

 

O samba é o rei dos terreiros. Sambistas festejam o alcance do ritmo. O projeto SAMBRASIL presta homenagem a trajetória do ritmo que, de marginal passou a herói, de perseguido pelas elites no início do século virou símbolo nacional.

 

Jorge Aragão
Com 20 álbuns (fora  as muitas coletâneas) e mais de trinta anos de estrada - Jorge Aragão é o mais recente fenômeno da indústria fonográfica no Brasil. Como compositor, o "poeta do samba" explodiu faz tempo nas vozes dos maiores intérpretes da mpb e é gravado por nove entre dez estrelas; principalmente do samba. Primeiro foi Elza Soares com um hit que atravessou décadas: "Malandro". Depois vieram Beth Carvalho, Alcione, Leci Brandão, Ney Matogrosso, Zeca Pagodinho, Dona Ivone Lara, Negritude Jr., Exalta Samba, Art Popular, Elba Ramalho e Jair Rodrigues, dentre muitos e muitos outros. Nas vozes de Elba e Jair, por exemplo, o compositor extrapolou fronteiras interplanetárias e teve um dos seus maiores êxitos "acordando" o robô da Nasa em Marte : a música "Coisinha do Pai" - canção que Jorge fez quando do nascimento de uma de suas filhas -  em parceria com  Luiz Carlos e Almir Guineto e um dos grandes hits da carreira de Beth Carvalho. Mas, por um desses acasos da vida, a carreira solo só decolou no finalzinho dos anos 90 com o ingresso na gravadora  Indie Records. "Sambista a bordo", o CD de estréia na Indie, fez com que suas vendas disparassem e o artista ganhou seu primeiro disco de ouro! Os seguintes tiveram premiações em ouro, platina e platina duplo. Só de 2001 para 2002 Jorge vendeu mais de 2 milhões de discos, transformando-se num verdadeiro fenômeno mercadológico. Até porque o "poetinha" beirava os cinquenta e jamais havia passado das sessenta mil cópias por álbum. Cifra alcançada com o lançamento do "Sambista" em seu primeiro dia nas lojas.

Jorge Aragão, felizmente acabou conquistando o público com seu timbre raro, sensual, e interpretações personalíssimas.   Tanto que, além dos inúmeros prêmios e múltiplas homenagens, ganhou, por unanimidade de votos,  o "Troféu Imprensa de Melhor Cantor do Ano" em 2001. A premiação é realizada pelo SBT (uma das maiores redes de televisão do Brasil) e dentre os julgadores estão alguns dos expoentes artísticos do cenário nacional. Indicado na última ediçao do Grammy Latino, com seu Album “ E AÍ”.

 

Jorge é compositor, letrista, músico, intérprete. Um cronista lúcido - e lúdico -  de sua época. Dono de hits que venceram o tempo e derrubaram fronteiras. Hits tais como "Malandro", "Coisinha do pai", "Vou festejar", "Enredo do meu samba", "Eu e você sempre", "Coisa de Pele" e  até de uma "versão para cavaquinho" da clássica "Ave Maria" de Gounod. Um dos autores da talvez mais famosa "vinheta" nacional, a canção "Globeleza", feita para a Rede Globo de Televisão. Uma das emissoras, vale dizer, que o contrataram  como analista dos desfiles das Escolas de Samba do Grupo Especial.

 

O fenômeno Jorge Aragão, que pretendia ser "apenas um bom  e respeitado compositor", merece tudo o que está acontecendo  com ele. Por seu talento, qualidade, integridade,  compromisso musical. E, basicamente, pelo  amor e devoção `a musicalidade plural de seu país. Porque, para os que ainda não sabem,   Aragão não é só um grande compositor de sambas e pagodes. Ele faz samba, pagode, mas canta também os rítmos do norte,  nordeste e o amor como poucos. Suas harmonias são sofisticadas apesar da fusão com a tonalidade popular. E, antes mesmo de se tornar esse visível fenômeno, nosso "Chico Buarque do Samba" poderia ostentar qualquer merecido título. Como o seu xará  da Capadócia, o ex- cronometrista de corridas de moto, ex-carregador de eletro-domésticos e ex-vendedor de sapatos (profissões para as quais não tinha nenhum talento) Jorge é um guerreiro nato e iluminado. E, como todos igualmente já sabem, um dos maiores - e melhores - artistas brasileiros de todas as épocas.

 

Quarta-feira – 02/12
DIA NACIONAL DO SAMBA
19h – Ato solene – Homenagem a Joãosinho, Brigadeiro e Carlos Elias

 

Apresentação da bateria da escola de samba Bola Preta de Sobradinho, com a participação da Estação Primeira de Mangueira.

 

Sexta- feira - 04/12
20h - Cris Maciel
Sábado - 05/12

 

A partir das 16h - Bateria da escola de samba da Aruc, Samba Orquestra e Jorge Aragão
Informações: (61) 3340-0398


Serviço
Preço:
Entrada gratuita
O Cerrado Mix está de acordo com a nova lei de classificação indicativa.